sábado, 29 de junho de 2013

Me empresta seu pai?!

- Que é isso cara? Nunca vi ninguém fazer uma pergunta dessas!

Disse Danilo para o melhor amigo. Fazia um bom tempo que André andava cabisbaixo, pensativo, mas Danilo não entendia o porque.


André cresceu indo aos cinemas de sua cidade, acompanhado pelo pai. Filmes de comédia e pancadaria, banhados com uma dose extra de sangue. O rapaz lembrava com carinho das horas nas filas, esperando pelo ingresso e como depois saiam discutindo o final do filme e as teorias mirabolantes que Pedro, seu pai, criava.

Mas agora, os dias de estreia já não tinham a mesma graça. Ia com a galera assistir os filmes da moda só pra não perder a oportunidade de está em grupo. Mas não curtia muito as horas passadas dentro da sala de cinema. Na verdade, chegava a ficar deprimido, mas sabia disfarçar!

Hesitou muito em fazer aquela ligação. Danilo era seu melhor amigo, mas nunca entenderia. Vivia que nem gato e cachorro com o pai. Seu Rodrigo era legal pacas, mas Danilo reclamava que ele enchia o saco cobrando mais responsabilidade e blá blá blá

Suspirando, fechou os olhos e disse: É cara, sei que é estranho. Mas hoje estreia o mais novo filme do ator preferido do meu pai. Nós sempre íamos juntos, mas ele morreu, lembra??? Já faz cinco anos, Danilo! E eu sei que seu pai também curte esse ator, então pensei em ir com ele ao cinema. Ou você se importa com isso?

- Cara, ele é um chato. Tu vai mesmo querer ir com ele?! Por mim, tudo bem!


Marcaram para sexta a noite. André chegou tímido, mas Seu Rodrigo quebrou o gelo. Estendeu um balde de pipoca e comprou os refris. Assistiram ao filme e Rodrigo sorria e comentava o filme. Não era como seu pai, mas André gostou da companhia. Ao se despedirem, Rodrigo falou que repetiriam mais vezes aquele programa. Afinal, André era seu filho de coração. Queria eu que Danilo pensasse como você, André. Mas meu filho só pensa em festa e mulher. Um dia ele vai aprender a gastar uns minutinhos comigo!

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

3 comentários:

Jeanne Geyer disse...

lindo conto amiga, que bom seria se outras pessoas conseguissem superar suas saudades desta maneira...
beijos

Eilan disse...

Lindo lindo. Fiquei pensativa.

Ah, deixo aqui um convite: fizemos um post no meu blog sobre automutilação e aí se teve a idéia de uma campanha pelo amor-próprio, seja de pessoas com transtornos ou não. O #ProjetoEuMeAmo.
Queria criar uma página no blog com fotos e depoimentos de pessoas, fazendo algo pra si próprios, nem que seja beijando o espelho.
Bem, caso vc ache interessante, mande para borderlineggirl@gmail.com, tá?

bjo!

eilan

borderline-girl.blogspot.com

Ana Cristina Thomé disse...

Boa noite! Adorei o seu cantinho, parabéns. Já estou te seguindo. Se você quiser conhecer o meu será muito bem vinda. Tenha uma linda noite.. Bjs
Cantinho by Giuly’s
www.excessodegostosura1.blogspot.com.br
https://www.facebook.com/CantinhoByGiulysArtesanatos?fref=ts