domingo, 20 de maio de 2012

Sobrecarga: Equilíbrio

Tudo ia bem na vida de Miguel até que vieram os dias maus. O desemprego do pai, a doença da mãe e sua consequente morte. As dividas, as brigas, o choro do irmão com fome. O conselho tutelar intervindo e dando sua guarda e de seu irmão para uma tia distante. Uma mulher amarga como vinagre que pensava que cuidar de criança era somente ter um teto, comida na mesa e cama para dormir. Miguel se tornou pai e mãe de Vitor, irmão menor, de apenas oito anos. Ansiava que o menino não precisasse ir a um tribunal afirmar, diante de um juiz, a incapacidade do pai de criá-los, como ele mesmo tivera que fazer.

Com o alcoolismo do pai, perderam tudo. A infância do menino fora regada a viagens para o campo nas férias de  inferno e semanas na praia, durante as férias de verão. Crescera em meio a latidos dos cães que cuidavam no canil. Aprendera desde cedo a valorizar a vida. E agora assistia a miserável infância de Vitor e lutava pra que as lembranças de infância do irmão pudessem ser no minimo agradáveis.

Toda essa hhistória, todo esse peso escondido em um simples olhar, mascarado por um simples sorriso. Miguel entendia a dor de Melissa. Alisando as cicatrizes, sabia muito bem o que se passava ali. Estranho perceber como era fácil estar ao lado dela. Estranho perceber que a menina entendia sua dor sem que precisasse dizer uma palavra.

Sorriu. Miguel queria mostrar algo pra ela. Algo que ela iria gostar. Tantas pessoas alertaram sobre a má influência dele, mas desde que o conheceu havia encontrado alguém em quem confiar. Ele dissera que não havia mais sentido em sua dor. Furiosa a menina tentou fugir. Medo, angustia, raiva. Raiva por achar aquele estranho tão atraente. Raiva por perceber como era fácil não lembrar de Paulo na presença do rapaz.

Ainda sorrindo ele observava a incrível batalha interna de Melissa. ‘Promete não mais se machucar, que eu te mostro algo que vai te fazer sorri’. Uma proposta simples, até patética, porém perigosa. Mas Melissa há muito desistira de sentir medo, ou de deixar que ele a dominasse. Então, seguiu atrás dele. Ela aceitara o desafio.

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40.

Kamila Mendes

4 comentários:

Dri disse...

para o campo nas férias de inferno e semanas na praia
kamiiii eu acho q é inverno né rsrsrs

nossa que desafio sera esse???

Rosa Mattos disse...

olá Kamila, que legal aqui! Grata pela visita e comentário. Também gostei bastante dos teus escritos. Com certeza voltarei mais vezes.

bj*obrigada/♫

Kamila Mendes disse...

tah certo Dri...semanas na praia durante as férias de verão! Foi só a virgula que me trollou!

Kamila Mendes disse...

Rosa, obrigada pela visita...eu realmente me apaixonei pelo seu blog!