quinta-feira, 17 de maio de 2012

Sobrecarga: Conflito


Levaram Melissa ao psiquiatra quando a menina jogou tinta preta em todo o quarto, apenas para cobrir o rosa pálido e infantil das paredes. Os ursos de pelúcia e bonecas ganharam lugar garantido nos brechós da cidade e o dinheiro de suas vendas alimentou a compra de pínceis e quadros. Livros e CD’s antigos. Melissa cresceu, antes mesmo de poder realmente crescer.

Por isso os olhares de Renato incomodavam. Não sentia atração pelo menino, apesar de saber que era o rapaz mais bonito da cidade. Mas aquele sorriso suave. Os olhos brilhantes, a gargalhada fácil...tudo isso era soava tão Paulo, que doía ficar mais de dez minutos com ele em qualquer lugar.

Quem realmente chamava sua atenção era Miguel. Rosto de anjo, postura de guerreiro. Não guerreiro de filmes épicos, mas alguém que não temia a vida. Alguém que com tão pouca idade sabe o significado do que é sofrer. Olhar duro e sorriso inflexível. Por debaixo disso tudo um poeta. Nas vezes que ficara de castigo ao final das aulas, Melissa estivera na mesma sala que ele e descobriu o quanto sua presença a acalmava. Eles quase não conversaram, mas o pouco que falaram descobriram muita coisa em comum e outras nem tanto.

Melissa sentia um desejo absurdo de estar com ele, mas tinha medo. Tinha medo de que ele descobrisse o que ela fazia para fazer a dor parar. Mas uma vez tocou involuntariamente o pulso direito.  E uma mão forte e firme segurou em seu pulso também.

Assustada a menina observou a mão e só depois levantou a cabeça e ali estava ele. Miguel a olhava de forma firme, como sempre fazia, mas havia uma sorriso brincalhão ali. Melissa, involuntariamente sorriu, de nervosismo, mas sorriu. 

Com ele era dessa forma. O riso vinha fácil, não havia medo. Não havia tristeza e Melissa se sentia culpada por não estar triste na presença de Miguel. Mas o rapaz tinha algo mais. Fruto de frequentes mudanças de escola por mau comportamento, brigas e desentendimentos, Miguel era uma força que, quando andava pelos corredores, fazia com que o mar de pessoas se abrisse para que ele pudesse passar.

Semblante sombrio, palavras duras e mesmo assim Melissa se sentia calma ao lado dele. Miguel sorriu ao ver as marcas. 'Parece que alguém aqui anda escondendo o que sente', afagou uma linha fina e olhou diretamente para olhos claros da menina. Melissa sustentou o olhar, mas não por muito tempo. Sabia que Miguel nem sempre fora duro e sarcástico. Um dia aquele jovem fora tão doce e simpático quanto ela um dia foi.

Continua...

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40.

Por Kamila Mendes

2 comentários:

Dri disse...

eita e agora renato ou miguel???
quem sera esse miguel?
correndo pro proximo

Evy Turner disse...

Hum..Miguel..nome anjo..rsrs..que bom que Melissa está tendo alguém para distraí-la de tanta dor.
Ah, Kami! Fiz um post no meu blog sobre fics que leio e recomendo, e é claro que tinha que ter "Sobrecarga" e "Um Pequeno Conto"! Dá uma passadinha por lá..bjos!

http://lembrancasfatais.blogspot.com.br/2012/06/fanfics-que-leio-e-recomendo.html