quarta-feira, 1 de maio de 2013

Hot Chocolat

Havia neve lá fora. Não havia percebido quando começara, viu apenas os montes brancos amontoados pelo chão e sentiu as estalactites crescendo no centro de seu peito. Nem sabia ao certo se já era inverno. Fora trancada por tanto tempo dentro de si mesma, em seu sentimento egoísta de solidão, que contar os dias era mera bajulação.

Ao ouvir as batidas na porta, desceu. Degrau por degrau, pé ante pé. Uma passada rápida no banheiro de visita revelou olheiras profundas. Marcas esculpidas na pele de noites mal dormidas e pesadelos intermináveis. Arrumou a franja o melhor que pode e foi em direção ao barulho.

Aquele com certeza era o cômodo, mas agitado da casa. A gritaria começava cedo e ela não entendia por que. Sentou na cadeira mais próxima, puxando as mangas de seu suéter para cobrir os dedos enregelados, pegou uma caneca e despejou o líquido. O doce e tenro aroma de cacau subiu a sua narina, misturado ao cremoso leite de gado recém ordenhado.

Com a caneca nos lábios, deixou o aroma invadir seu olfato e se impregnar por todo aparelho olfativo. Saboreou o primeiro gole, e o calor do líquido marrom cremoso se espalhou por todo seu ser,quebrando o gelo do seu interior. Mais um gole, e a sensação de familiaridade foi crescendo junto com as gargalhadas infantis ao seu redor.

Outro gole, e a nuvem escura cobrindo todo o céu já não invadia seu ser. Um gole longo, esquentando desde a língua até o estômago, despertando as papilas gustativas ainda adormecidas, e um sorriso escapou, sorrateiro, de seus lábios.

A porta se abriu, e a brisa gelada fez seu corpo tremer. Com a briza nevada, entraram na casa um homem e pão quentinho. O inverno chegou para todos, mas no coração nevado de uma jovem, o gelo derretia lentamente. Mais um gole e o inverno acabaria.

OBSO texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

1 comentários:

Evy disse...

Aqui pela minhas terras está quente, mas o seu texto fez com que eu sentisse um friozinho gostoso e depois me aqueci com uma boa xícara de chocolate quente..muito boas as suas descrições, best. Elas fazem a gente se sentir como a personagem..perfect!