quarta-feira, 15 de maio de 2013

A vida seria encantadora!

Quando foi que a humanidade parou de se encantar? Essa pergunta não surgiu do nada. Pense bem, quantas vezes você já se encantou com a chuva, com a água fria caindo dos céus, ao invés de reclamar que está frio ou explicar o fenômeno natural que produz a chuva?

E o vento suave batendo em seu rosto? Você já sorriu apenas em senti-lo, ou apenas reclamou de estar bagunçando o penteado que demorou um tempão para ficar pronto?

Você se sente contente quando, no seu aniversário, alguém manda um sms, ou lhe dar uma caneta da sua cor predileta? Ou só fica ruminando o fato de não ter recebido o Iphone 5 que tanto esperava?

O ser humano perdeu a capacidade de se encantar. A vida se tornou frívola e fútil Já não há mais o brilho nos olhos apenas ao ouvir o nome da pessoa. Agora é preciso listar a quantidade de beijos dados na balada de sábado! Um jovem fica feliz ao comprar o mais novo IPad do mercado, apenas pra ficar insatisfeito amanhã, quando um IPad mais avançado for lançado.

Brennan Manning descreve em seu livro, O Evangelho Maltrapilho, como os monges descreveram as águias ao vê-las no céu. Eles diziam ter visto Deus voando, planando e cantando. Era a coisa mais linda que haviam visto. Se um garoto ouve um pássaro cantando tem logo vontade de atirar uma pedra pra espantar o “o bicho barulhento”.

O assombro, o encanto são raros hoje em dia. Somente as almas puras conseguem se assombrar (se encantar) com um raio rasgando o céu e se permitem se alegrar ao ver uma coisa tão bela. O mais comum é ver um pais explicando a origem científica ao seu filho, ao invés de ensinar-lhe a grandeza daquilo que acabou de ver.

Reduzimos as maravilhas à tecnologia e novidades instantâneas. Em contra partida, nossos dias se tornaram monótonos exigindo cada vez mais novidades!

Ah, se pudéssemos nos alegrar ao contemplar as formigas carregando folhas, ou sorrir ao ver um gato brincando com um saco plástico. Ah, se simplificássemos mais ao invés de complicar... A vida seria encantadora!

OBSO texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

4 comentários:

Landmak disse...

Desejo que as pessoas redescubram este lindo sentimento de se encantar e se maravilhar com a beleza do mundo em sua volta para que se lembrem que isso traz novamente o encantamento dentro de nós mesmos e o amor que esta latente em nossa alma querendo sair!!!

Quézia Moura disse...

Lindo texto, mana!! Lindo mesmo!!
É realmente saber que alguém pensa assim e escreve sobre isso... Porque é uma pura verdade o fato de nós, seres humanos, permitirmo-nos perder a habilidade de se encantar... Hoje em dia, boa parte de nós não pára nem se quer para apreciar a bela natureza nem nada.!... Não paramos para apreciar as coisas simples mas belas da vida... Isso é triste!! Mas, enfim... rs
Obrigada por escrever esse texto, me fez bem e sei que ele vai ser bom pra outros ^^
Beijos linda!!

Kamila Raupp disse...

Oi Xará!

Quanto tempo!!

Adorei seu texto, como tu consegue escrever tão lindamente assim? A mais pura verdade tudo isso, é difícil hoje, as pessoas se encantarem com os dons da vida. Uma pena!

Não sumaaa! rsrs

Beijos,Kamila
www.vicio-de-leitura.com

Bia Hain disse...

Oi, Kamila! Seu texto é adorável...quando se perde a capacidade de se encantar com o simples, o ser humano se perde um pouco de si mesmo. E como bem lembrou, passa a viver de novidades efêmeras e sentimentos nada duradouros. Um abraço!