quarta-feira, 10 de abril de 2013

Sentir que habita em mim!

Falar o quê? Quando todas as palavras não são suficientes para definir a beleza de um ser!

Expressar como, se o mundo parece não notar tamanha exuberância?

Falar como, se a boca se abre e nenhum som parece exato ou certo para sair e soar ao mundo?

Sentir o quê? Os sentimentos não são profundos o bastante para definir tamanha intensidade.

Olhar pra onde? Se a mera existência de seu ser apaga a luz das demais coisas lá fora.

Ir para onde? Se os pés querem outra coisa, senão acompanhar suas passadas.

Contemplar a Deus, que de duas, fará uma só.

Me afogar em um mar de perfeita calmaria e placida nitidez.

Permitir ser o que é: intenso, profundo, único.

Sem definições para o sentir o que habita em mim!

OBSO texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

1 comentários:

Evy disse...

É difícil e complicado dizer o que sentimos, pq sentimos, o que somos e o que deixamos de ser.
Mas eu espero que o que vc esteja sentido seja uma coisa boa ;)
Te adoro best!
bjos