sábado, 29 de dezembro de 2012

Um babaca qualquer


Me desculpe, mas você não é isso tudo o que pensa, meu bem. Essa sua pose arrogante de queixo erguido, com ar superior, só mostra o quão pequeno você é. Me desculpa, eu gosto de você, sério mesmo. Só não dá mais pra continuar. É que...você se acha demais: se acha o dono do mundo, o centro do universo, o dono das minhas vontades e eu cansei.


Sabe aquele cara alegre e divertido que você costumava a ser? Foi por ele que me apaixonei, não por essa pálida e efêmera lembrança do passado. Eu gostava dos sorriso ao céu aberto, dos passeios de mãos dadas e das declarações ao pé do ouvido. Mas isso já era. Hoje você não passa de um poço de arrogância e egoísmo, que acha que tudo gira em torno do seu bem estar. Bom, deixe eu lhe dizer algo: você está enganado.

Você já foi o cara por quem eu lutaria mil batalhas. Já foi o homem com quem sonhei estar pelo resto da vida. Mas esse esqueleto mórbido cheio de orgulho e preconceito não quero na minha existência. Te amei como ninguém mais poderia ter te amado. Suportei o que nenhuma outra suportaria,  mas chega! É hora de cuidar de mim!

Cresci. Não sou mais a menina boba que acreditava que você poderia conquistar o mundo com seu sorriso arrogante. Hoje eu sei que o máximo que você pode conseguir é meu desprezo. Mas não quero te desprezar, prefiro deixar no passado as mágoas, lágrimas e angustias. Prefiro lembrar de você como aquele menino lindo e sonhador, com o mundo a sua frente, não esse crápula demente que se tornou.

Estou indo embora. Desejo a você que encontre alguém capaz de mudar seu ego hiperinlfado, capaz de te amar sem ser subjulgada. Quanto amim, desejo apenas encontrar alguém que me ame como sou: simples, delicada, moleca e manhosa; que não queira me moldar em um padrão imposto por um babaca qualquer. Aliás, foi isso que você se tornou: um babaca qualquer! '-'

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

5 comentários:

MARIA MACHADO disse...

Oi Kamila tudo bem? Hoje é dia do meu último dia deo meu conto e prosa no Vendedor de ilusão você ainda não passou lá, estou esperando seu comentário viu?
Poucos amigos foram lá.
Um abraço, muito belo seu texto. Faz sentido.
Maria Machado

Evy Turner disse...

As pessoas mudam, e infelizmente nem sempre pra melhor.
O que eu achei mais interessante no seu texto é que geralmente só nos damos conta do quão idiota era a pessoa amada, qndo deixamos de amá-la. E no seu caso vc descobriu isso enqnto ainda gostava da pessoa rsrs.

Tsu disse...

Olá Kamila!
Valeu por curtir meu cosplay! A Misa não é minha personagem preferida de DN (esse posto será sempre do Mello *.*) mas adoro a variedade de visuais que posso fazer com ela. Olha, eu já conheci muitas amizades da web e alguns se tornaram amigos de rolê e amigos de verdade =) Vc é de qual Estado?
bjs!

Sensibilidade a navegar com poesias disse...

Parabéns amiga pelo seu lindo espaço, estou adorando tudo por aqui...beijos...

Uma pessoa por ai disse...

Nossa eu conheço um menino bem assim u.u né best kkkk
E o texto parece muito comigo, me identifiquei muito com ele *-*