segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Desejo de um escritor

Eu me pergunto se alguém realmente lê meus textos. Não é questão de insegurança absoluta, veja bem. Mas é uma questão de pensar: “será que alguém perde parte de seu dia, alguns minutos que sejam, para dispensarem atenção ao que escrevo?”

Me pergunto isso porque estaria mentindo se dissesse que escrevo apenas por escrever. Existem períodos, momentos, fases. Chame como quiser. Mas são períodos em que escrevo por escrever, deixo a imaginação fluir ou simplesmente escrevo para que leiam e espero ansiosa para que meus textos toquem a vida de alguém, de alguma forma.

Mentiroso é o autor/escritor que não admite a si mesmo querer causar impacto na vida das pessoas. Tudo que é escrito é escrito por algum motivo. A motivação de quem escreve é ser lido e ponto.

Você escolhe descortinar o que se passa em sua mente fertil em busca de que aquilo que você criou toque alguém. O escritor quer ser lido. Quer emocionar as pessoas, isso não significa que a emoção seja boa. Ele quer apenas ser descoberto.

Cada texto, cada frase, por mais ficcional que seja, contém um miléssimo da essência do seu criador. Ele se doou àquele momento, de forma consciente ou não, e se entregou em palavras. Então, sabendo disso, me pergunto:

Alguém me lê? Alguém perde seu precioso tempo comigo? Ou melhor, eu sou capaz de tocar a vida de alguém?

Perguntas que sou incapaz de responder, mas que me rondam como mosquitos teimososroubando minha atenção e me fazendo questionar: Realmente nasci para isso: escrever?

Eis a questão que não sei como elucidar oO

Isso é um pequeno artigo, ou desabafo, ou ponto de vista. Não sei ... rssrsrsr

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

5 comentários:

Evy Turner disse...

Kami, não vou mentir e nem puxar o saco dizendo que leio todos os seus textos, mas os que chamam minha atenção leio, comento e reflito sobre eles. Um exemplo é esse texto que estou comentando agora rs.
Nem preciso dizer que admiro muito o seu modo de escrever e a sua criatividade, e espero que vc continue postando seus textos e principalmente suas fics ^^

Mylla Stefany disse...

Káh, você sabe que eu sempre leio os seus textos, estou sempre comentando aqui, rsrsrs.
Seus textos me emocionam e me fazem refletir. Continue sempre escrevendo ;)

Beijokas :*
Blog da Mylloka

Mylla Stefany disse...

Káh, o filme P.s. eu te amo não é tão fiel ao livro, pois ele foca mais na saudade que a Holly sente ao perder o Gerry. O livro não apenas foca na tristeza como também na nova vida de Holly, sua relação com os irmãos, mãe e amigos.

Beijokas fofa!!! ^^
Blog da Mylloka

Cris Bernardes disse...

Oii manaa...não leio todos os seus textos, mas sempre entro no seu blog p ver as novidades e gosto de como vc escreve. Sabe que sou sua fã...mas tb me faço a mesma pergunta que vc rsrs
Gostei mto desse texto me vi nele.
Você é ótima e com certeza nasce p escrever! Bjusss

Célia Maria de Sousa Arruda Jacobino disse...

Olá!
Estou chegando por aqui agora vim conhecer o seu espaço.
Então,digo,um bom texto sempre nos chama à atenção e vai valer engolir cada ponto e vírgula.
Sendo assim, adorei vir aqui e já estou a te seguir,faço o convite para que conheça o meu cantinho,espero que goste.
Felicidades.