quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Dançando com borboletas

As borboletas voavam formando um carrossel de cores deslumbrantes pelo jardim de grama alta. Pequenas mãozinhas tentavam alcançá-las, mas tinham medo. Medo de machucá-las, medo de se machucar. Vejam só, uma borboleta macucar alguém? ...



Todos os dias era a mesma dança, e aqueles olhinhos, ávidos por mais, assistiam, deliciando-se com cada rasante dado por elas, ficando cada vez mais empolgada quando uma nova amiguinha se juntava ao seu carrossel de cores e dançava junto uma melodia que seus pequenos ouvidos não conseguiam captar.

As gargalhadas enchiam o jardim de vida, quando uma dançarina brincalhona resolvia deixar o balé ensaiado e ir dançar perto do rostinho curioso. O extase vinha quando alguma resolvia pousar em suas mãozinhas ou nariz. Quando tentava tocá-las, mamãe dizia: “Não querida, elas são frágeis demais, podem se machucar” e rapidamente os dedinhos se recolhiam.

Anos se passaram e os mesmo olhos observando as borboletas brincando de carrossel no jardim. Ana cresceu e nunca entendeu seu fascínio por aquelas belas criaturas,mas as amava. Em tudo haviam cores e borboletas: cadernos, camisas, quadros, pinturas que ela mesma fazia.

Lembranças de sua infância estavam marcadas em seus pés e costas. Borboletas em todo lugar. Beleza e magia da infância a acompanhariam mesmo nos dias cinzas.

Agora, olhos cansados observavam a dança. Sentada em uma cadeira de balanço, mãos enrugadas se estendiam e borboletas coloridas, magnificas pousavam em seus dedos ossudose mais uma vez a voz dizia: “tome cuidado querida, você pode machucá-las”, mas dessa vez, sua voz cansada dava o mesmo aviso para os ouvidos atentos e olhos ávidos de um pequeno garotinho sentado na grama, observando e gargalhando dançando com as borboletas no jardim.

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

5 comentários:

Mylla Stefany disse...

Oie Kamila, já pensou em ser escritora? Imagino você escrevendo contos de romance ou poemas, sei lá. Você tem o dom garota! :)

Beijokas :*
Blog da Mylloka

Tsu disse...

Oi Kamila.
Olha eu realmente não sei se ocorre Zombie Walk no Amazonas.sei que tem em muitos estados brasileiros...mas o maior é o de SP. Mas olha é uma coisa bem legal..quando começou em SP tinha pouca gente mas agora atrai multidões!
bjs

Matheus Gaudard disse...

Lindo Kami... lindo demais. Nem preciso dizer que sou apaixonado por borboletas ^_^

Kisses, amiga ♥

Kamila Mendes disse...

Oi Mylla, esse é meu sonho...estou trabalhando para ser escritora... por enquanto sou apenas blogueira de contos e poesia e algumas coisinhas a mais

Kamila Mendes disse...

Theus, eu nem sabia que vc era apaixonado por borboletas...rsrsrsrsr