domingo, 21 de outubro de 2012

Uma crônica qualquer

“Falta coragem de apagar os sorrisos e jogar as cartas fora...falta coragem de encarar a vida. Afinal, pra quê encará-la??? Gostaria que as coisas simplesmente se afastassem de mim”, pensava enquanto admirava o céu azul de verão.
A vista de sua janela era linda, mas aquela beleza não chegava ao seu coração. Tinha sérias escolhas a fazer. Na verdade, já as havia feito, mas não sabia como colocar em prática. Para pessoas comuns é tudo tão simples. É só apertar um botão delete e recomeçar, ou continuar. Pra ela era muito mais que aquilo....era enfrentar a culpa e acusação que moravam dentro dela e dentro de outros.

De onde surgira o medo das pessoas e de suas opiniões? Desde quando isso passou a ser tão importante a ponto de paralisar sua vida? Não sabia. Nunca soube. Mas observava o céu através da sua janela. Uma forma talvez de absorver a beleza do mundo e deixar fluir para seu coração.

Era isso que queria: mais beleza em sua vida. Gostava das coisas simples, mas nunca entendeu como conseguiu complicar tanto a si mesma.fora uma criança meiga e delicada, agora era uma mulher complicada e cheia de neuras...onde exatamente aquela menina se perdeu da mulher que se tornou?

Esses pensamentos rondavam sua mente enquanto realizava o ato tão banal de pintar as unhas e olhar a janela, enquanto o esmalte secava. No fundo, sabia que aquela garotinha ainda existia, só não sabia como encontrá-la de novo.

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

5 comentários:

vendedor de ilusão disse...

Olá Kamila,
Venho trazer votos de uma ótima semana e espero que tenhas recebido meu e-mail.
Abraço.

Fran Borges disse...

Oi Kamila, adorei o texto. Fez-me pensar o momento em que cada uma de nós passa por isso, aquele momento em nos perdemos e precisamos encontrar o caminho. Parabéns.

Beijos

Rosa Mattos disse...

Superbacana o texto, Kamila.

Curioso como atos mecânicos, conseguem provocar reflexões interessantes.

Gostei/! Lembrei do quanto isso acontece comigo e de como viajo em vários assuntos, enquanto faço coisinhas prosaicas do dia a dia.rs

bjs

vendedor de ilusão disse...

Olá cara amiga, boa tarde!
Com satisfação venho lhe convidar para participar do 1º CONTOS E PROSAS do Vendedor de Ilusão. Veja a notícia no blog e saiba das condições e as datas da realização do evento.
Esperando que se anime a participar enviando sua criação, deixo meu abraço.
Até mais!

Tsu disse...

Olá Kamila!
Adorei a crônica...muito bem escrita!
Onde que as Kamilas são chatas? Todas as Kamilas que conheci sempre foram super gente boa o/
Bom, agora penso que estou iniciando uma nova fase, ou pelo menos tentando. Espero que dê certo.
Valeu! o/
bjs