sábado, 10 de agosto de 2013

Me diz uma coisa...

Me diz uma coisa, você se sente culpada quando come demais? Porque eu me sinto!

Cara é uma sensação terrível essa. Comer...se sentir feliz enquanto come, e depois vem a culpa e a vontade de chorar. Assim, não é sempre, é só quando como demais, muita besteria, sabe?

Nem sei se você consegue entender o que tou falando. Mas, caraaaa, como gostaria que você falasse. Ia ser tão fácil pra mim!

Talvez você não entenda isso, afinal, não existe cobrança sobre você estar gordo ou magro, mas existe sobre mim.

Tenho que tah magra, porque senão nenhuma roupa legal serve. Tenho que tah magra, porque senão as roupas que uso pra esconder a gordura me fazem parecer um saco de batatas. Isso é chato, pow!

A magreza não deveria ser um padrão de beleza, deveria ser opcional, sabe? Tipo, nasci gordinha e não é facil me manter magra, mas as naturalmente magras são tidas como bonitas, forçando as outras a serem cada vez mais magras até vestirem bandagens te tão magras que ficam.

Mas oxe! Homem gosta disso? De quê que homem gosta? E sério, a opinião deles importa? Porque, se não for igual a sua, vai fazer você se sentir infeliz?

Reclamo do meu peso mais por causa de mim do que por causa dos outros.

E você, pensa tanto em peso assim? Em se estar gordo ou magro?

Mas aff...você é lindo e fofo do mesmo jeito, com seus pelos fofos e gordurinhas extras. Você é o gatinho mais lindo da mamãe.

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

Kamila Mendes

2 comentários:

brisonmattos disse...

Eu juro...como absolutamente tudo que tenho vontade e não me sinto culpada por isso.
Sou gorda e daí? Tenho boa saúde, disposição e é isso o que conta.
E o que me incomoda eu corto. Literalmente.Não fico mastigando jiló só pra ter certeza que é ruim.
Posso comer uma caixa de bis assistindo filme que não traumatizo.
Tenho apenas um conselho, ou diria,um pedido a fazer. Se culpe menos, se cobre menos. Tudo que é demasiado faz mal.Cuide-se bem, mulher.

Rosa Mattos disse...

Amo bichanos! E esse texto sobre comilanças, culpas e fofurices, ficou superbacana.

<-.-> beijocas