sábado, 11 de agosto de 2012

Suavemente


 Eu respirei fundo. Respirei você. senti cada pequena partícula do seu ser atravessando meu interior. Se fixando em mim. Loucura, eu sei. Mas eu senti. É como se a cada suspiro profundo que eu desse pudesse absorver um pouco mais de você.
Irreal, eu sei. Mas era assim, tão verdadeiro pra mim. Conseguia imaginar pequenos pedaços de você invandindo meu ser através da respiração. Consigo sentir seu cheiro onde quer que eu esteja. Fecho os olhos e me imagino respirando você. Suavemente tendo a inclinar a cabeça e a sentir uma lágrima solitária, que desce rasgando o deserto de poeira acumulada pelo dia em meu rosto. Não é dor, não é amor. É um carinho extremo, uma vontade de cuidar, de respirar você. De te guardar pra mim.

Eu respirei a fragrância marcante de seu perfume e deixei com que ela se agarrasse a cada pequena particula que há em mim, disparando sensações estranhas, desconexas e tão iguais. Eu te marquei pra mim. Como posso marcar algo que não é meu? Mas registrei teu cheiro como meu. Registrei você em mim, como só o cheiro pode deixar alguém marcado para sempre em seu coração. Assim, te deixo ir, porque sei que, quando eu menos esperar, o vento vai trazer você de volta pra mim, com seu leve perfume pairando no ar.

OBS: O texto foi escrito por mim e é proibido seu uso ou cópia integral, ou de fragmentos, sem a autorização da autora. O mesmo vale para todo e qualquer conteúdo deste blog que seja de minha autoria. Sua cópia ou uso sem autorização é qualificado como plágio, sendo configurado como crime previsto no Código Penal. O infrator está sujeito as punições previstas no Art. 184 do Código Penal - Decreto Lei 2848/40

4 comentários:

Matheus Gaudard disse...

Nossaaaaa! Parabéns Kamila! Mesmo eu não comentando muito, sempre venho ler seus textos, e sempre me deparo com uma leitura intensa, uma leitura que eu digo ser um resgate da alma de quem a escreveu. Uma leitura onde você encontra sentimentos verdadeiros. Admiro quem escreve com a alma, e você é uma pessoa que deixa o coração escrever, não somente a mente com suas razões e lembranças do que já leu ou assistiu antes, mas com a experiência de um coração vivo, e cheio de recordações.

^^ AMEI.

Rosa Mattos disse...

Muito bonito, Kamila. Descreveu lindamente uma conexão sensorial das mais preciosas e raras - quando tudo o que há no outro nos invade e passa a fazer parte de nós.

Muito bom!! Parabéns/

bjoss

Kamila Mendes disse...

Obrigada, Rosa, eu deveria saber que uma pessoa com sua sensibilidade entenderia o que eu quis descrever...sinceramente, tive medo de ser mal compreendida!

Kamila Mendes disse...

Ô Theus....sei nem o que dizer ó....fico feliz em saber que vc lê meu blog...que vc lê o q escrevo...obrigada pelo elogio, vc descreveu bem o que acontece:não consigo escrever com a mente, só com o coração...isso me ajuda a confrontar meus medos e sentimentos!